2º Concerto de Natal

2º Concerto de Natal

Ano da Misericórdia

quinta-feira, 17 de novembro de 2016

Sacramentos: Sinais de nosso encontro com Deus


SACRAMENTOS:

Os sacramentos são sete sinais especiais da graça de Deus chegar até nós. São sinais de vida ou presentes que ele confiou à sua Igreja. O autor dos sacramentos é Jesus Cristo.

Jesus quis deixar os sacramentos em sua Igreja, pois sabia que precisaríamos deles para vivermos melhor nossa fé, visto que comunicam a graça de Deus em cada etapa de nossa vida. 

Vejamos: se nascemos para esta vida, nascemos também  para Deus pelo BATISMO.

Precisamos crescer e nos tornar adultos, participantes da vida da sociedade, mas para nos ajudar a nos tornarmos adultos em Cristo, temos o sacramento da CONFIRMAÇÃO.

Para termos forças e uma boa saúde, precisamos de alimento. Para alimentar nossa vida espiritual, Jesus nos deixou o sacramento da EUCARISTIA.

Se ficarmos doentes, precisamos de remédio; para a doença da alma, que é o pecado, temos o sacramento da PENITÊNCIA ou RECONCILIAÇÃO.

Se vamos viajar, precisamos de passaporte; para os que se encontram enfermos ou se aproximam da morte, Jesus deixou o sacramento da UNÇÃO DOS ENFERMOS, que os ajuda e conforta no sofrimento e na dor. Porém, é bom lembrar que a Unção dos Enfermos não é só viático (passaporte para a viagem), é também sacramento de cura, de conforto, mesmo se a doença não é fatal.

Quando é a nossa hora de servir à comunidade, encontramos dois sacramentos: o da ORDEM, para os rapazes que são chamados a ser sacerdotes e o do MATRIMÔNIO, para os que são chamados a se casar e constituir família com as bênçãos de Deus.

Todos os sacramentos nos ajudam a viver melhor como filhos e filhas de Deus e irmãos uns dos outros. Precisamos não só receber os sacramentos, mas vivê-los bem durante toda a nossa vida cristã.

Jesus dá esse presente aos homens que aceitam recebê-lo com amor. Como vimos, os Sacramentos são sete. Vamos procurar na Bíblia onde estão:

BATISMO



É o Sacramento que nos faz Igreja; a partir deste Sacramento somos chamados a participar, atuar, evangelizar; enfim, assumir o nosso papel de cristão na Igreja e no mundo. O Batismo apaga o pecado original e, através dos pais e padrinhos, leva o batizado à conversão e à busca de Deus. "Ide e pregai o Evangelho a todos os povos, batizando-os em nome do Pai, e do Filho e do Espírito Santo." (Mt 28,19).

CONFIRMAÇÃO ou CRISMA


O Batismo, geralmente é a criança que recebe. Assim sendo, são os pais e padrinhos que prometem introduzir a criança na Igreja. Já a Crisma é o sacramento da responsabilidade, pois quem o recebe (geralmente jovens) já tem consciência daquilo que quer e do seu importante papel de soldado de Cristo, comprometido com a Igreja na luta pela evangelização. "Pedro e João impuseram as mãos sobre as pessoas, para que recebessem o Espírito Santo." (At 8,17).


EUCARISTIA


É o centro dos sacramentos, o próprio Corpo de Cristo que vem alimentar a nossa via espiritual e fortalecer nossa união com Deus e com os irmãos. "Tomai e comei, isto é o meu corpo. Tomais e bebei, isto é o meu sangue." (Mc 14,22-24).

PENITÊNCIA ou CONFISSÃO



É o sacramento que limpa a nossa alma de todo o mal, de todo o pecado. Através desse sacramento nós nos voltamos para Deus, através do padre, e pedimos perdão de todos os nossos pecados e nos propomos a assumir uma vida nova. "Recebei o Espírito Santo. Os pecados que perdoardes serão perdoados." (Jo 20, 22-23).


UNÇÃO DOS ENFERMOS


É o sacramento da fortaleza de Deus (que demonstra a presença de Deus para as pessoas doentes e velhinhas). Este sacramento não é para quem está à beira da morte, mas para aqueles que estão fracos fisicamente e querem a graça de Deus. "Chame o padre para ungir o doente com óleo santo em nome do Senhor." (Tg 5,14).

ORDEM


Sacramento da consagração a Deus e à Igreja, para servir ao povo. Através deste sacramento, o homem se torna sacerdote, recebendo os poderes de Cristo, para levar a boa nova do amor a todos os homens. "Fazei isto para celebrar a minha memória." (Lc 22,19).


MATRIMÔNIO



União do homem e da mulher, que através do amor e da bênção de Deus se tornam um só corpo, uma só alma. O matrimônio é indissolúvel (ou seja, não pode acabar. Só a morte pode separar o homem e a mulher casados). "Não separe o homem o que Deus uniu." (Mc 10,9).

Assim, nós vemos que todos os Sacramentos foram instituídos por Jesus.

Os Sacramentos são sete sinais especiais da graça de Deus chegar até nós. Em cada um deles, podemos perceber a ação de Deus através dos gestos e das palavras do sacerdote que se utiliza também de elementos bem conhecidos por nós, como a água, o vinho, o óleo.

Os sacramentos acompanham toda a nossa vida cristã, dando à fé do cristão origem e crescimento, cura e missão.

Jesus quis deixar os Sacramentos em sua Igreja, pois sabia que precisaríamos deles para vivermos melhor nossa fé, visto que comunicam a graça de Deus em cada etapa de nossa vida.

Os Sacramentos são sinais de vida nova. Como todas as sementes precisam de água para nascer, crescer, dar flores e frutos, cada um de nós precisa dos Sacramentos, para ter uma vida de amor e crescer para Jesus e para os irmãos.

Os sete Sacramentos são agrupados por sua finalidade:
·                     Sacramentos de Iniciação Cristã
·                     Sacramentos de Cura
·                     Sacramentos de Serviço e Comunhão

Os Sacramentos de Iniciação são:  Batismo, Crisma e Eucaristia. Por eles, são lançados os fundamentos de toda a vida cristã.

O BATISMO é o primeiro Sacramento que recebemos, é o Sacramento que nos dá a vida nova e nos torna participantes da Vida de Deus: a Vida da Graça, que foi perdida por causa do pecado original.

 Fonte: Maria Gathe

segunda-feira, 7 de novembro de 2016

Dedicação da Basílica do Latrão 09/11

Celebramos nesta quinta-feira a Dedicação da Sacrossanta Basílica do Latrão. O que é a Basílica do Latrão?

É a Sé Catedral da cidade de Roma, que foi construída entre os anos de 314 e 335 e fundada pelo Papa Melquíades na propriedade oferecida e doada para esse fim pelo imperador Constantino, ao lado do Palácio Lateranense. Mas, porque se chama Basílica do Latrão? Porque esta Basílica foi construída no terreno “dei Laterani”, ou seja, da família proprietária da chácara, herdada pela mulher de Constantino, o Imperador Romano, que a doou ao Papa. 

Esta Basílica tem um significado muito especial para a cristandade: lá foram celebrados os cinco Concílios Ecumênicos. Diz a tradição da Santa Igreja que o aniversário de sua dedicação, celebrado originalmente só em Roma, comemora-se em todas as comunidades do rito romano com a finalidade maior de enaltecer o ministério petrino do Sumo Pontífice que de sua Basílica Patriarcal preside na caridade a única Igreja de Nosso Senhor Jesus Cristo que congrega, por seu gesto primacial, todas as Igrejas de todo o orbe. A Basílica de Latrão, portanto, é a Mãe de todas as Igrejas de todo o mundo católico.

Até a construção do Vaticano o Santo Padre morava no Palácio Lateranense que é anexo a Basílica de mesmo nome. Portanto a Basílica do Latrão é a Catedral do Papa em Roma, é a Igreja que é a Mãe e cabeça de todas as Igrejas.  

A Basílica do Latrão tem como padroeiro principal o Santíssimo Salvador. Tem como dois co-patronos, São João Batista, celebrado a 24 de junho e São João Evangelista, celebrado a 27 de dezembro. Dois homens que caminharam nas estradas da salvação. João Batista, o precursor, aquele que preparou os caminhos para Jesus anunciando que Outro viria batizar com o Espírito Santo, porque ele batizava com água. São João Evangelista, o apóstolo bem amado, o último apóstolo a morrer e com a sua morte se considera fechada às portas das revelações e dos ensinamentos bíblicos do Novo Testamento. Por isso mesmo o povo de Roma conhece a Basílica celebrada hoje como a Basílica de “São João do Latrão”.

DEO OPTIMO MÁXIMO, ou seja, A DEUS OTIMO E MÁXIMO celebramos a festa de hoje. Dedicada a Deus ótimo e máximo a Basílica de Latrão quer interpelar em cada um de nós um compromisso evangelizador renovado de profundo amor e seguimento a Nosso Senhor e Divino Salvador Jesus Cristo e a Sua Igreja. Não há Igreja no mundo que não seja dedicada a DEUS O SALVADOR. Todas as Igrejas, evidentemente são dedicadas a um Santo ou a uma Santa que viveram a radicalidade do Evangelho e servem-se como luzeiros na nossa caminhada de fé e de esperança cristã. Mas, estes santos viveram a sua vida, dedicaram a sua vida a DEUS ÓTIMO E MÁXIMO.

Todos nós participamos a cada domingo da celebração da liturgia eucarística que, via de regra, é celebrada dentro de uma Catedral, de uma Basílica, de uma Matriz, de uma Capela Filial, de um Oratório, de um Orago, de um centro comunitário, de uma praça ou no próprio logradouro público. A Igreja, esta Igreja como templo em que estamos dentro é o edifício pelo qual todos nós nos reunimos para adorar a DEUS ÓTIMO E MÁXIMO, ao Divino Salvador. 

Mas, graças a Deus, a Igreja transcende o templo de pedra. A Igreja é a comunidade viva de fiéis, é a reunião de todos os batizados que vem adorar ao Deus Salvador. Assim nos ensinou o Concílio Vaticano II: “A Igreja não se acha deveras consolidada, não vive plenamente, não é um perfeito sinal de Cristo entre os homens, se aí não existe um laicato de verdadeira expressão que trabalhe com a hierarquia. Porque o Evangelho não pode ser fixado na índole, na vida e no trabalho dum povo, sem a ativa presença dos leigos”(Cf. Decreto “Ad Gentes” n. 21). Continua o Concílio Ecumênico Vaticano II: “O principal dever dos homens e das mulheres é dar testemunho de Cristo pelo exemplo e pela palavra, na família, no seu ambiente social e no âmbito da profissão”(idem).

Vivemos todos dentro da grande comunidade de fiéis chamada Igreja ou “Ecclesía”, o que significa, assembléia ou comunidade de fiéis, comunidade do povo de Deus peregrino. São Paulo nos ensinou que a comunidade cristã é o templo de Deus, onde quer que esteja ou se que se reúna para o louvor do Deus Altíssimo e Onipotente. Todos os fiéis que fazem parte do corpo místico de Cristo constituem a comunidade orante, a comunidade militante e a comunidade padecente que formam a grande Igreja, Jerusalém celeste conforme celebramos há dois dias a Solenidade de Todos os Santos e Santas de Deus. O próprio fiel, pelo Batismo, é templo e morada do Espírito Santo. Todos nós somos membros da pedra viva, o “Corpo de Cristo”.

Assim, rezemos, pois, elevando nossos pensamentos ao Senhor da Vida para que a Igreja que peregrina no mundo, a partir do primado da Caridade de Bento XVI, que da Catedral Lateranense a todos abençõe a congrega na unidade, para que possamos todos cantar as alegrias eternas neste vale de lágrimas, aonde a justiça, a paz, a concórdia, a misericórdia e a acolhida fraternal sejam a nota de júbilo e louvor ao DEUS ÓTIMO E MÁXIMO que se consagra a Basílica do Latrão e que, diuturnamente, se consagra à vida de cada um dos cristãos. Amém!
JO 2,13-22

"O nosso templo é o Corpo Ressuscitado de Jesus!" 
"Jesus expulsa os vendedores no Templo"
Festa de aniversário da Basílica do Latrão, mãe de todas as igrejas

Crianças, hoje, falaremos sobre regras. Vocês sabem o que são regras?
Na casa de vocês existem regras? Quais são? E se na sua casa não houvesse as regras para seguir, como seriam as coisas por lá?
Em sua escola também existem regras? Quais são elas? E se vocês não seguirem as regras de lá, o que acontece?
Então pra que serve mesmo as regras?
Elas servem para organizar a vida das pessoas, não é mesmo?
E quando não somos obedientes às regras o que acontece?
Sempre pagamos um preço por elas, por não a seguirmos.
Se em casa ou na escola eu não obedeço, costumo levar um castigo, porque
quando não seguimos o que é certo, sempre pagamos pelo errado que fazemos.
E será que aqui na igreja a gente tem regras também? Que tal a gente criar umas aqui?

Vamos pensar...
Será que podemos conversar com os coleguinhas durante a missa?
Será que podemos comer pipoca, mascar chicletes, trazer carrinho, brinquedos, ficar brincando na hora que a Tia está contando  contando historinhas ou falando do Evangelho, ou quando estiver participando da missa?

Vamos fechar nossos olhinhos e rezar para que Deus perdoe os nossos pecados, pedindo perdão pelas vezes que desobedecemos e não cumprimos suas regras, ficamos brincando ao invés de prestar atenção na palavra de Deus.
Hoje iremos aprender que devemos cuidar do nosso da casa de Deus que é a igreja e que devemos cuidar do nosso corpo que é o templo de Deus, templo do Espírito Santo de Deus, e devemos seguir seus mandamentos.

Vamos oferecer a Deus o nosso corpo, a nossa igreja e todo o nosso compromisso em seguir as leis do Senhor e pedir a nossa mãezinha querida sua interseção, e que ela derrame sobre todos nós suas graças rezando...Ave Maria....


quinta-feira, 27 de outubro de 2016

Fiéis Defuntos 02/11

João: 14.6. “Respondeu-lhe Jesus: Eu sou o caminho, a verdade, e a vida; ninguém vem ao pai senão por mim”

quarta-feira, 5 de outubro de 2016

OUTUBRO - MÊS MISSIONÁRIO

A Campanha Missionária em 2016 traz como tema “Cuidar da Casa Comum é nossa missão”, em sintonia com as reflexões da Campanha da Fraternidade Ecumênica deste ano.  O lema “Deus viu que tudo era muito bom” (Gn 1, 31) é extraído do livro do Gênesis.  A atividade acontecerá no mês de outubro, com Coleta do Dia Mundial das Missões, no penúltimo fim de semana do mês, dias 22 e 23.

No contexto da CF 2016, a temática busca refletir sobre a preocupação com a ecologia, o sofrimento dos pobres e a exploração da Terra, a partir do compromisso com a missão de cuidar da vida no planeta.

O cartaz da Campanha Missionária 2016 mostra a integração que existe na “Casa Comum”. A arte destaca o tronco de uma árvore no formato de uma mão enraizada na terra. A mão, por sua vez, representa cuidado e proteção, bem como, a participação humana na obra da criação. A ideia é realçada pelas cinco folhas da árvore contendo cenários de cuidado nos cinco continentes. As cores missionárias estampadas no caule das folhas recordam a dimensão universal da missão.

Com a proposta de animar a Campanha, as Pontifícias Obras Missionárias (POM) estão preparando alguns subsídios: cartaz; novena missionária; mensagem do papa para o Dia Mundial das Missões; oração missionária; DVD com testemunhos missionários; orações dos fiéis para os domingos de outubro; envelopes para a Coleta do Dia Mundial das Missões e seis versões de marcadores de páginas.
O Mês Missionário tem sua origem no Dia Mundial das Missões (penúltimo domingo do mês de outubro, este ano, dia 23). A data foi instituída pelo papa Pio XI em 1926, como um Dia de oração e ofertas em favor da evangelização dos povos. A inspiração vem do mandado de Jesus para anunciar a Boa Nova entre todas as nações. Além das ofertas, a Campanha Missionária nos convida a rezar e a refletir sobre a nossa missão no mundo.
“CUIDAR DA CASA COMUM É NOSSA MISSÃO”. Este é o tema escolhido para a Campanha Missionária em 2016. O lema é extraído da narrativa da criação no livro do Gênesis: “Deus viu que tudo era muito bom” (Gn 1,31). O projeto do Criador é maravilhoso, mas encontra-se ameaçado! A preocupação pela ecologia parte de dois gritos: o grito dos pobres que mais sofrem, e o grito da Terra que geme pela exploração.
Em sua Encíclica Laudato si’, o papa Francisco adverte que “a existência humana se baseia sobre três relações intimamente ligadas: as relações com Deus, com o próximo e com a terra” (LS 66). E lança uma pergunta: “Que tipo de mundo queremos deixar a quem nos suceder, às crianças que estão crescendo?” (LS 160). Em nossa Casa Comum, tudo está interligado, unido por laços invisíveis, como uma única família universal. E nós recebemos de Deus a missão de cuidar dessas relações. Isso tem a ver com a missão da Igreja. Queremos fazer do cuidado do planeta a nossa missão até os confins do mundo. Diante da crise socioambiental, nem todos temos de ser especialistas e saber tudo, mas temos o dever de mudar nossos hábitos e apoiar ações práticas.
Oração do Mês Missionário 2016
Pai de misericórdia, que criaste o mundo
e o confiaste aos seres humanos.
Guia-nos com teu Espírito para que,
como Igreja missionária de Jesus,
cuidemos da Casa Comum com responsabilidade.
Maria, Mãe Protetora, inspira-nos nessa missão. Amém.
Fonte: Pontifícias Obras Missionárias




sexta-feira, 26 de agosto de 2016

MEDITANDO SOBRE A FÉ SEM OBRAS É MORTA

MEDITANDO SOBRE A FÉ SEM OBRAS É MORTA


OBJETIVO : Mostrar que a fé deve estar ligada com a realidade e participação da comunidade.
MATERIAL : 3 copos com água e 3 sonrisal (efervecentes).
DESENVOLVIMENTOS :
O Sonrisal é a nossa fé, o copo com água é a comunidade.
No 1º copo colocar o Sonrisal fechado no lado de fora do copo.
Será que nossa fé não está igual este Sonrisal, fechado e alheio à comunidade? Será que nossa fé não está alienada?
No 2º copo colocar o Sonrisal fechado dentro do copo.
O Sonrisal está na água mas não se mistura. Nós estamos dentro da Comunidade, mas será que não estamos fechados ao próximo que nos pede ajuda? Será que não vivemos uma fé individualista?
No 3º copo abra um Sonrisal e coloque dentro dele.
O Sonrisal irá se efervecer e misturar com a água e se transformará em remédio.
A Nossa fé deve ser transformadora, inserida na comunidade, deve estar ligada à ação.
“A FÉ SEM OBRAS É MORTA”.

*************************************************************************
👉👉 Dica em sala com os catequizandos:
Como temos visto nos últimos dias o mundo só fala dos Jogos... Jogos Olimpicos e o novo Jogo Pokémon Go, que tantas polemicas tem levantado.

Aqui não quero discutir nenhumas dessas polemicas, mas acho que devemos aproveitar o que o mundo nos oferece e usar na Evangelização. Esta passagem do Evangelho acho que define bem essa situação:
👉👉 "Não peço que os tires do mundo, mas sim que os preserves do mal. Eles não são do mundo, como também eu não sou do mundo. Santifica-os pela verdade. A tua palavra é a verdade."
(Jo 17, 15-17)
Vamos então, aproveitar essa empolgação, e usar ao nosso favor, vamos conscientizar e nos aproximarmos mais de nossos catequizandos com um encontro divertido e atual!
Como sugestão para esse encontro pensei em proporcionar uma Caça aos Anjos.
1. previamente esconda figuras de anjinhos em todo o local que os catequizandos tem acesso e que podem procurar.
2. Cante a musica "Tem Anjos voando" do padre Marcelo
3. Assim que terminarem, de a eles um cartão para que escrevam uma oração falando a
Jesus, que O amam e querem segui-Lo dia após dia. Que Jesus Ajude-os a dizer aos outros amigos que Ele os ama muito, e que morreu por eles, para que eles possam optar por segui-Lo também. Texto: catequese na net.

sexta-feira, 8 de julho de 2016

Transfiguração do Senhor

A festa da "Transfiguração do Senhor" acontece no mundo cristão desde o século V. Ela nos convida a dirigir o olhar para o rosto do Filho de Deus, como o fizeram os apóstolos Pedro, Tiago e João, que viram a Sua transfiguração no alto do monte Tabor, localizado no coração da Galiléia. O episódio bíblico é relatado distintamente pelos evangelistas Mateus, Marcos e Lucas. 
O significado dessa festa é, e sempre será, o mesmo que Jesus pretendeu, naquele tempo, ao se transfigurar para os apóstolos no monte, ou seja, preparar os cristãos para que, em qualquer circunstância, permaneçam firmes na fé no Cristo.
Melhor explicação, só através das inspiradas palavras do Papa João Paulo II, quando nesta solenidade em 2002, nos lembrou que:  


"O rosto de Cristo é um rosto de luz que rasga a obscuridade da morte: é anúncio e penhor da nossa glória, porque é o rosto do Crucificado Ressuscitado, o único Redentor da humanidade, que continua a resplandecer sobre nós (cf. Sl 67, 3)".




quinta-feira, 23 de junho de 2016

Evangelho Lc 9,51-62

3º DOMINGO DO TEMPO COMUM - Domingo 26/06/2016
Leituras
Primeira Leitura 1Rs 19,16b.19-21
Salmo (15 (16))
Segunda Leitura Gl 5,1.13-18
Evangelho Lc 9,51-62
Mensagem Principal
Mais uma vez o Senhor nos presenteia com o dom de sua Palavra, que neste domingo tem como tema predominante o discipulado, ou o do seguimento. Sabemos que não é fácil seguir Jesus, mas somos escolhidos e preparados para anunciar sua mensagem de esperança e amor. Nesta liturgia, peçamos ao Senhor que fortaleça os laços de amor que nos identificam como discípulos e discípulas do Mestre.
Ideia para trabalhar esse Evangelho
Que tal aproveitar um barquinho de papel e explicar para as crianças o verdeiro sentido de seguir Jesus?

Devemos nos lançar no grande mar que é a vida, com todas as suas turbulências e perigos.. Lá há muitoooos que precisam conhecer o Seu amor....
Nosso barco é pequeno, sim... MUITO.
Mas Jesus sempre, sempre Segura nossa mão.
Num barco pequeno não cabe muitas coisas... e realmente não podemos carregar tudo para seguir Jesus, temos que estar leves... o que você vai deixar?
- a desobediência
- a preguiça
- a falta de amor
- o egoísmo
- a mentira
Que mais?
Vamos fazer uns barquinhos de papel, pegar uma bacia bem grandona e dar este importante ensinamento para os nossos pequenos.
Peça ajuda ao Espirito Santo, Ele conduz nosso barco, nossas palavras... nossa missão!
Oração:
A oração do Pai Nosso é uma importante oração para quem quer seguir Jesus.